Na BIOTEMPO acreditamos que o crescimento só é possível com a criação de projetos que contribuam para o desenvolvimento do Conhecimento e da Inovação. Desta forma, na BIOTEMPO participamos ativamente em vários projectos de I&D relacionadas com a Nutrição Humana, que aportem um valor acrescentado para a sociedade.


Projetos Europeus:

  • EURRECA (EURopean micronutrient RECommendations Aligned)
  • BachBerry 

Projetos Nacionais:

  • IAN
  • PortFIR
  • SGRIA
  • NutriLiSA 

Projetos Internos:

  • Biolife
  • Medical foods
  • Meal replacement

 

 

 

 

EURRECA (EURopean micronutrient RECommendations Aligned) é um projeto inserido numa Rede de Excelência Europeia (NOE, FP6 036196-2) composta por 35 parceiros de 18 países. EURRECA (2007-2012) abordou o problema das variações nas recomendações de micronutrientes entre diferentes países europeus. O principal objetivo passava por desenvolver metodologias para padronizar o processo de definição de recomendações de micronutrientes (www.eurreca.org). 

 

BachBerry é um consórcio europeu que tem como objetivo descobrir novos polifenóis e desenvolver os seus processos de produção por fermentação, par que possam ser utilizados como ingredientes alimentares funcionais. Dentro deste consórcio, a BIOTEMPO está responsável pela otimização de processos e pelo scale-up.

 

IAN é um projeto em curso com o objetivo de planear e executar o questionário do consumo alimentar Português, liderado pelo INSA (Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge) e pelo ISPUP (Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto). O papel da BIOTEMPO consiste em produzir o manual de quantificação de alimentos e o software a ser utilizado para analisar o questionário.

 

PortFIR é um programa com o objetivo de estabelecer uma rede Portuguesa de partilha do conhecimento em segurança alimentar e nutrição e a criação de um Portal que incluirá bases de dados, sustentáveis e de qualidade reconhecida, sobre Composição de Alimentos, Contaminação de Alimentos e Consumos Alimentares. A BIOTEMPO participa no grupo de trabalho de gestão de dados. 

 

SGRIA é um projeto liderado pelo INSA para desenvolver um software de gestão de dados sobre a composição de alimentos, consumo e informações sobre a  contaminação alimentar. A BIOTEMPO foi contratado pelo INSA para conceber e planear os requisitos do software, o seu modelo de dados e a arquitetura.

 

NutriLiSA tem como objetivo global promover a literacia em saúde nutricional e melhorar o estado de saúde nutricional das pessoas idosas. O principal foco passa por capacitar profissionais de saúde de unidades de cuidados primários para realizar a vigilância nutricional e fazer uma intervenção baseada na comunidade. É utilizada uma abordagem integrada "Antes-Depois", composta por quatro áreas de acção: A) Supervisão nutricional; B) Avaliação do estado nutricional, consumo alimentar e ingestão de nutrientes; C) Literacia sobre Nutrição e Segurança Alimentar; D) A intervenção social em torno de alimentação e nutrição. O papel da Biotempo consiste em implementar as ferramentas de gestão de dados necessários para o projeto e servir como uma ponte entre as atividades de desenvolvimento do conhecimento e da comunidade em geral. 

 

Biolife foi um projeto executado entre 2004 e 2010 para desenvolver um processo de fermentação industrial com base para a produção de prebióticos como ingredientes para alimentos funcionais. 

 

Medical foods é um projeto atualmente em curso para desenvolver formulações de produtos alimentares destinados a fins medicinais específicos. Na BIOTEMPO efetuamos todo os passos necessários para a obtenção da formulação do protótipo, incluindo a análise sensorial, testes físico-químicos,  estudos de estabilidade e de shelf-life e análise de benchmarking. O objectivo é desenvolver um produto conveniente, bem tolerado pelos pacientes, com alta densidade nutricional e sabor agradável.

 

Meal replacement é um projeto em curso que visa desenvolver um substituto de refeição prático e saudável. Na BIOTEMPO efetuamos todo os passos necessários para a obtenção da formulação do protótipo, incluindo a análise sensorial, testes físico-químicos,  estudos de estabilidade e de shelf-life e análise de benchmarking. No âmbito deste projecto, Biotempo estabeleceu várias parcerias estratégicas com instituições de ensino superior e plataformas tecnológicas.